A Tormenta de Espadas (As Crónicas de Gelo e Fogo, #5) - Jorge Candeias, George R.R. Martin Os conflitos continuam a grassar nos Sete Reinos e a luta pela conquista do Trono de Ferro está mais acesa que nunca. Esta primeira metade do terceiro volume das Crónicas de Gelo e de Fogo. Em termos cronológicos, os acontecimentos deste livro estão a par do livro anterior e por isso não se pode dizer que mudou muito neste volume. Pode dizer-se sim que o nível de acção e as emoções começam a aumentar de intensidade. Esta leitura não foi para mim muito fácil. Não tem que ver com o livro (que acabou por se revelar tão bom quantos os anteriores) mas tem mais que ver comigo. Comecei muito entusiasmada a leitura deste livro, mas depois sem saber muito bem como, meteram-se à frente uns livros da biblioteca que tinha de entregar e este foi posto de lado durante uns tempos. Até aqui, tudo bem. Mas quando voltei a pegar no livro - apesar de continuar ansiosa para ler - já não foi a mesma, já não estava com a mesma ânsia, com a mesma sofreguidão. Até ao ponto em que cheguei a recear não ter vontade de lhe pegar novamente. O livro que até nos traz desenvolvimentos interessantes (para dizer o mínimo) e que tem um nível de acção estonteante, não podia de maneira nenhuma não gostar desta leitura. A questão é que existe um timing para tudo. Felizmente, o meu entusiasmo acabou por voltar e lá fui aos poucos lendo esta aventura. Nesta primeira metade do terceiro não há mesmo tempo para parar e pensar no que está a acontecer.As coisas simplesmente acontecem a uma velocidade verdadeiramente vertiginosa. Por vezes até me senti confusa com as tramas políticas que são cada vez mais intrincadas e complicadas de destrinçar. Confesso que alguns capítulos foram mais cativantes que outros por razões muito pessoais. Os pontos de vista dos meus personagens favoritos - até ao momento - são sempre aqueles que mais aprecio e por isso, leio esses capítulos com mais ânsia. Todos vocês já estão fartos de o saber, mas a mim ainda me fascina o facto do autor ter criado um universo tão... completo. Rico, complexo. Cheio de tramas e mais pequenas tramas. Tanta variedade, tanta riqueza cultural que os livros de Martin oferecem aos seus leitores. É impossível não se deixar conquistar pelas descrições do autor, por este universo cruel mas também belo. O meu objectivo inicial seria ler já de seguida a outra metade que dá por concluído o terceiro volume da saga, mas como tal não irá ser possível de momento, vou ter que esperar mais um pouco para ler o sexto volume, A Glória dos Traidores. Por essa mesma razão, não me queria alongar em julgamentos precipitados sem ler o livro na sua totalidade. Se já tive várias surpresas neste livro, nem quero imaginar o que se segue. Estou verdadeiramente aos pulos para ler o próximo episódio desta Crónicas de Gelo e Fogo. aqui