Pedaços de Ternura (Capa Mole) - Dorothy Koomson, Vera Falcão Martins (http://labirinto-livros.blogspot.pt/2012/09/pedacos-de-ternura.html)Kendra Tamale é uma jovem de trinta e três anos que tem uma história emocionante para nos contar. A sua vida nem sempre tem sido repleta de alegrias e ela tem um segredo que insiste em esconder de toda a gente e a que atormenta todos os dias da sua vida... Após ter saído da faculdade em Leeds e ter ganho algum dinheiro com o seu primeiro emprego em recrutamento de trabalhadores temporários, Kendra decide mudar-se para a Austrália. Aí, encontra o amor da sua vida, Will. No entanto, a relação entre os dois é complicado e no meio dos dois existe um senão que impossibilita que eles sejam felizes juntos. E assim, após vários meses a viver neste país, acontece o inevitável e torna-se impossível para Kendra continuar a viver no país dos cangurus e decide retornar a casa, Inglaterra. Esta consegue empregar-se no seu antigo trabalho de directora de recrutamento e aluga um estúdio a Kyle, um homem com 37 anos que acaba de se divorciar da sua esposa, que tinha um problema de alcoolemia. À sua guarda tem os dois filhos, gémeos falsos - Summer e Jaxon.A tensão que se vive neste seio familiar é muito grande e Kendra, que tem uma razão muito forte para não se querer envolver com crianças, vê-se rapidamente catapultada para a vida quotidiana destas duas crianças, que são realmente uma ternura. Os miúdos não conseguem perceber porque é que a mãe vive separada deles e a verdade é que estão a passar por períodos confusos e estão a sofrer com o desmantelamento da sua família. Kendra acaba por decidir que não poderá, nunca, abandonar estes meninos e o seu próprio sofrimento e a reticência que tem em deixar-se envolver directamente com crianças é posto de lado, para que estas crianças possam receber segurança, atenção e algum afecto e que possam (re)aprender a sorrir, não estando sempre a pensar nos conflitos familiares por que passam nesta altura. Kendra acaba por se apaixonar por estas duas crianças, mas o passado dela acaba por se encontrar rapidamente com ela e Kendra acaba por não aguentar a pressão, a não ser que ela decida enfrentar o mesmo. Este é o segundo livro de Dorothy Koomson que leio. A minha estreia fez-se, há bem pouco tempo, com a obra A Filha da Minha Melhor Amiga e eu simplesmente adorei o livro. Tinha iguais esperanças para este e foi com muito entusiasmo que comecei esta leitura. Posso dizer que a autora conseguiu captar a minha atenção tão eficazmente quanto conseguiu com o primeiro livro. A sua escrita é algo que não passa despercebido, pois articula o seu discurso de uma maneira que facilmente envolve o leitor na história, de tal modo que só queremos largar o livro quando ele acaba.Esta segunda experiência, em termos de fluidez, escrita e enredo estão, portanto ao mesmo nível. Não consegui largar o livro e a escrita da autora deliciou-me, pela sua intensidade e pela forma como ela fala de assuntos que são fortes emocionalmente. Ao mesmo nível está também a construção das personagens: Kendra, Kyle, Summer e Jaxon são um quarteto tanto divertido como emocionantes. Adorei conhecê-los e a autora conseguiu descrever muito bem a dinâmica que se criou entre estes. As crianças, claro, foram uma alegria. Deram-me muitos momentos de felicidade e fartei-me de rir com as suas personalidades e com as suas birras. Uma ternura autêntica. Contudo, tenho que confessar que gostei mais da obra anterior do que esta. Não que este livro seja mau, muito pelo contrário. Foi um livro que me emocionou muito, que me mostrou que não é preciso descermos ao nível de pessoas com mau carácter para conseguirmos alguma justiça na nossa vida, e ao mesmo tempo falou-se sobre temáticas que são muito recorrentes nos dias que correm: divórcios (e não só, mas não quero estar a levantar muito o véu, para aqueles que ainda não leram este livro). Falou-se sobre amizade e falou-se sobre paixão e amor. É, sem dúvida alguma, um livro que me deu um enorme prazer ler e que me tocou em certos aspectos. Mas... estava à espera de um toque diferente, especialmente no que toca ao romance. Esperava um certo desfecho e até ao fim tive uma secreta esperança de que as coisas iriam acabar como eu gostaria que acabassem, mas a autora trocou-me as voltas e o desfecho foi ligeiramente diferente daquele que eu queria que fosse. Enfim. Não posso dizer que estou insatisfeita com o livro, porque não estou. Mas teria sido melhor se tivesse existido ali mais qualquer coisa. Faltou a este livro, um toque especial. Depois de Pedaços de Ternura, segue-se em Outubro a minha nova leitura desta autora. Estou ansiosa, pois agora que descobri Dorothy Koomson, não quero absolutamente mais nada, até me fartar.