Sandstorm  - James Rollins Sandstorm, A Cidade Perdida, em português foi um livro que apenas li para acompanhar a série Força Sigma deste autor. Não ia para a leitura deste livro com grandes expectativas e bem, o livro não é nada de especial. Até é um pouco aborrecido, com demasiadas descrições ao mesmo. No entanto, não posso dizer que foi tempo mal aproveitado ou desperdiçado. Até me deu algum prazer a leitura deste livro, quanto mais não seja pela presença de uma das minhas personagens favoritas da série, o Painter Crowe. Achei engraçado, mas não é nada de mais como já referi. Lê-se bem, a linguagem não é difícil e como sempre gostei do Painter Crowe até gostei de o ver mais na ribalta.Também se fala muito sobre Londres, o que para mim é fantástico. É uma das minhas cidades preferidas. A parceira dele, a Coral, também é muito fixe. Gostaria que ela tivesse ficado na série.No entanto, era um livro absolutamente desnecessário na série. Claro que até pode ser interessante sabermos como surgiu a Sigma e como é que o Painter passa de agente operacional para Director, mas pronto... o livro realmente tem muitas páginas de muita palavra e nada a dizer.E foi isso que me estragou um pouco a apreciação da leitura. Sem dúvida quem lê este livro fora da ordem - como foi o meu caso - não sente falta de nenhum acontecimento anterior. Este livro, a não ser pelo Crowe e pelo mesmo nível de aventura, até poderia ser considerado um livro individual. Uma prequela da série, como na verdade é. E esta acabou por se revelar desinteressante talvez porque não tem muito que ver com os livros que já li. Os livros que vieram posteriormente denotam outro tipo de escrita mais interessante, mais dinâmica. E é isso que me apela num livro. Este parece não ter o mesmo sentimento, a mesma força de escrita a que os outros livros tiveram direito. Desta feita, gostaria de ter lido o livro na ordem certa porque estou convencida que a apreciação seria diferente. É uma boa introdução ao género, para quem não está habituado. E depois, tem uma parte importante para contextualizar o leitor em relação à organização que é o centro da série. Mas, repito, é dispensável- na minha opinião. Em nenhum momento, as informações que obtive neste livro fizeram falta para a minha boa compreensão dos elementos mais importantes nesta série.