Nightkeepers (Final Prophecy Series #1)

Nightkeepers - Jessica Andersen I've been avoiding this book since January. *shame on me*I only now realised my stupidity because this book was an awesome beginning to the Nightkeepers series. I was afraid because I've read a certain amount reviews that said that this was a pretty heavy series with a great amount of information that wasn't easy to absorb. What a big, fat lie. Really. This book was awesome and since I have an active interest in Mayan culture it was great to read this book. Sincerely it was refreshing to find a book that delves on something other than sex. Good paranormal series aren't that easy to find nowadays and when I do find one that qualifies as a good paranormal series I experience a great sense of relief. I'm already reading the second instalment "Dawnkeepers" because oh my, I just don't want to wait to see Nate's story. I just hope that my sentiment towards this series isn't just a fake one. Let's see how it goes. ***Ora bem, aqui andava eu a evitar este livrinho desde Janeiro e nem eu sabia muito bem porquê. A verdade é que (e não se sintam culpadas por isso, não é o suposto) vi alguns comentários que esta série talvez pudesse ser mais pesada e mais complicada de absorver por trabalhar com assuntos mais sérios e daí ter vocabulário mais complicado, etc., etc., etc. . Já para não falar que esta série poderia não se vir a revelar a urban-fantasy que o público geral está à espera e ficar desiludido. Bem, a verdade é que foram vários os factores que empancaram ali a minha leitura e podem compreender que depois da loucura que cometi de comprar todos os 7 livros de uma só vez, se eu não gostasse do primeiro livro dava em doida. Já não posso dizer que faço isto hoje em dia, mas às vezes olhamos simplesmente para os livros e parece que sabemos que eles nos vão agradar. Foi o que aconteceu com este, thank God!Lá foi em Março que decidi deixar de ser medricas e ver finalmente se a série seria do meu gosto. Tinha tudo para dar na verdade, porque como já disse por aí, eu adoro as culturas Maia e Azteca, entre outras, já para não falar em mitologia que é outra temática que me fascina. Magia nem tanto, mas a verdade é que isso anda a mudar. Bem, só sabendo que o livro falava sobre a teoria dos Maias que a humanidade entrará noutro ciclo de existência em Dezembro de 2012 foi aí que me lancei convencida que ia mesmo gostar. E acertei no alvo.Confesso realmente que ao início não é das leituras mais fáceis; de facto fiquei eternamente confusa com alguns nomes e personagens. Não sei porquê no início não consegui perceber a diferença entre a Alexis e a Patient. Pormenores assim pequenos fizeram-me alguma confusão, especialmente porque os primeiros volumes de uma série também não costumam trazer glossários (então se forem 1ªs edições nem se fala) e toda informação junta foi um bocadito difícil. Mas isso só durou na primeira parte do livro, ou seja, até aos poderes da barreira se reactivarem. Até parece que a minha inteligência se reactivou juntamente com a magia. Certamente que o vocabulário é mais puxado, mas não é assim tanto. É deveras desafiante, até. E mal se entra no ritmo sabe bem. Outra coisa, é bom para mim, porque eu estou a tirar o First Certificate e é sempre óptimo poder aprender novo vocabulário. Por isso, isto para mim não me faz diferença. Se tanto, até me faz gostar mais dos livros porque mostra que os livros são diferentes dentro do seu género só e apenas por isso.Então, gostei bastante do Striking-Jaguar (gosto mais deste nome do que Strike) e apesar de não ter gostado logo à partida da Leah, conforme a fui conhecendo mais fui gostando dela. Como é óbvio, não suportei logo desde início o Red-Boar. É daquelas personagens que só nos dá vontade de lhe partir a cara. Para primeiro livro, achei que a história estava muito bem pensada e os alicerces para este novo universo bem lançados. Misticismo e romance nunca foi uma má combinação, não é agora que o será. Enfim, a não ser algumas falhas nas ligações de ideias e saltinhos entre passos mentais, achei que até estava bastante bom, o que me fez saltar logo para o livro do Nate.